Os vieses cognitivos na jornada de compra

Não importa qual viés. A persuasão na jornada de compras é uma realidade e pode ser justificada por qualquer viés inconsciente. Para uma mesma decisão de compra, nossa psique transita entre os territórios consciente e inconsciente, para que sempre tenhamos a certeza de que estamos tomando a decisão correta.

O Marketing centrado no usuário exige conhecimento da atitude humana

A mudança que estamos presenciando no consumo graças às variáveis do mundo digital é de uma volatilidade, ao mesmo tempo que de uma grandiosidade e complexidade, que estão acima da média do aceitável. As inovações que varrem o mercado nessa década trazem, dia após dia, novas avenidas estratégicas, novos métodos operacionais e KPIs bem mais acurados para a gestão de performance do marketing e das vendas.

Behavioral Science e a Estratégia de Marketing – Parte 2

Quem não tem expectativa de que vai abrir o Netflix, por exemplo, e de repente encontrar com aquele filme que se encaixa direitinho no seu gosto? É o desejo da realização de uma pequena mágica para que nossos cérebros gastem a menor energia possível na escolha do entretenimento. Essa mágica se chama “arquitetura estruturada de escolhas” e vamos explicá-la neste texto.

Behavioral Science e a estratégia de marketing

Ulisses Zamboni Sócio Fundador e Chairman da Santa Clara Atribuído originalmente a Nietzsche, o provérbio ‘o diabo mora nos detalhes’ é amplamente usado por todos nós no trabalho, mas por ser melancólico demais para se iniciar um artigo, vou ficar com a versão do mesmo ditado um pouco mais otimista: ‘Deus mora nos detalhes’, essa […]

Jornada de consumo e comportamento humano

Falamos muito sobre a vulnerabilidade dos indivíduos no mundo atual e sobre o mundo líquido e frágil que as comunidades estão vivendo. Também já sabemos que lealdade de marca não é mais o mais fidedigno KPI no marketing para medir as relações entre usuários e marcas. Agora está na hora de refletirmos um pouco sobre usuários de marcas.

Economia Comportamental: a saga mental na tomada de decisão

A Economia Comportamental carrega em si o DNA do sujeito. Sugere que a irracionalidade perpassa por nossas atitudes e nos leva a tomadas de decisão a todo instante. Reconhece que o subjetivo faz parte da equação de nossas vidas e, assim, se aproxima cada vez mais da Psicanálise e da Filosofia, numa espécie de retorno nostálgico às discussões Socráticas sobre a supremacia (ou não) da razão sobre nós.